Sobre

Quando criança eu era hiperativo. Não parava quieto.

Um dia, minha mãe me deu um lápis e um papel para ver se eu conseguia ficar parado por mais de 30 segundos. Não deu muito certo já que, no mesmo dia, desenhei o Bozo em todas as paredes da sala, em todos os LPs do meu pai e em todos os álbuns de família.

Desde esse dia, eu desenhei todo santo dia. Na escola, no trabalho, em casa, no guardanapo no bar… Era algo compulsivo, mais forte que eu.

Porém, aos 27 anos, me vi parando de desenhar por causa do trabalho. Em 27 anos de vida, era a primeira vez que parava de desenhar – e isso durou quase um ano.

Agora estou voltando. E esse blog está aqui para me lembrar que as chateações da vida não podem nunca fazer com que eu pare de fazer o que mais amo.

Quer entrar em contato? E-mail para: gomesbarros@gmail.com

%d blogueiros gostam disto: